Chás para engravidar: conheça os mais recomendados

Se você ou sua amiga está tentando ter um filho, hoje eu trago chás para engravidar. São bebidas naturais capazes de agir no organismo, equilibrar deficiências na ovulação, entre outras funções. Tudo para realizar o desejo de ser mãe. Confira nos próximos parágrafos!


Estudos indicam que chás à base de urtiga são eficazes na fecundação porque a planta contém substâncias que limpam e tonificam o útero. Com isso, o órgão tem melhores condições de fixar o óvulo.

Mas tem um detalhe importante: pelo mesmo motivo, a limpeza do útero, o chá pode ser abortivo. Portanto, ao mínimo sinal de dúvida sobre gravidez, nada de consumir urtiga, ok?

Existem diversos preparos que levam urtiga entre os ingredientes. Alguns deles:

  • Alecrim, cavalinha e urtiga
  • Chá-verde, gengibre e urtiga
  • Maçã, urtiga e salsaparrilha

Outros chás para engravidar

O dente-de-leão é conhecido por aumentar a circulação do sangue na área do baixo-ventre. Assim, estimula a proliferação dos óvulos e ainda favorece o espessamento do endométrio.

Chás para engravidar

Para fazer o chá, coloque duas colheres de sopa de dente-de-leão em um litro de água. Leve ao fogo e, ao atingir o ponto de fervura, tampe a panela e espere a bebida repousar por 10 minutos.

O inhame não poderia faltar. Aliás, nesta lista, ele merece um capítulo à parte. Ele está ligado à produção de hormônios masculinos e femininos associados à reprodução, além de aumentar a libido.

Seu preparo é fácil: basta separar cascas de cinco inhames para cada litro de água. Ferva em fogo brando por cinco minutos, coe, espere esfriar, e pronto.

Quando a mulher tem irregularidade na produção de óvulos, não produz ou é portadora da síndrome dos ovários policísticos, o chá de inhame pode ser uma boa alternativa para facilitar a gravidez.

Outro motivo é que o tubérculo é fonte de ácido fólico – um amigo da saúde reprodutiva, porque atua sobre os ovários.

E mais: estudos demonstram que o inhame tem condições de coibir a produção excessiva de estrogênio no corpo da mulher.

Ou seja, ele impulsiona a maturação dos folículos e, por consequência, a ovulação. Uma vantagem tanto no quesito quantidade quanto na qualidade dos óvulos.

Uma razão extra para ele estar entre os chás que facilitam a gestação é sua possibilidade de elevar a chance de liberação de dois óvulos ou mais a cada ciclo e, também, de esticar o período fértil.

Ainda não terminou…

A bebida fornece condições de turbinar o tempo de vida do óvulo para que a fertilização ocorra e de melhorar o aspecto do muco cervical. A secreção tem que ser viscosa o suficiente e com pH apropriado para que os espermatozoides tenham êxito da vagina até as trompas.

É interessante beber o chá de inhame bem cedinho, em jejum, para que os elementos bioativos dele sejam absorvidos da melhor maneira pelo organismo.

Você pode consumir o chá adoçado, quente, natural ou gelado. Fica a seu critério! O tubérculo não tem sabor forte, ao contrário do que muita gente pensa.

Outra dica é beber o chá até a chegada da ovulação.

A recomendação é a seguinte: tome o chá durante 7 dias seguidos em cada ciclo, entre o 7º e o 14º dia no ciclo de 30 dias; no ciclo de 29, tem que ser do 5º ao 13º dia. Faça isso por até seis meses.

Se a menstruação é irregular, a mulher tem a opção de consumir o chá de inhame no primeiro dia do ciclo, durante uma semana.

Caso não ocorra gravidez, faça um intervalo antes de repetir o tratamento natural como o chá de inhame. Senão, pode haver hiperestimulação dos ovários.

Boa sorte, e até breve com outras sugestões e segredinhos do rico mundo dos chás!

Compartilhe com seus amigos!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •